Arquivo da categoria: relacionamentos e vivências

(Re) Começo

Padrão

image

Começo e apago. Apago e recomeço. E tento de novo.

É assim que eu tenho levado minha vida nos últimos anos, sem saber onde chegar. E depois de tanto tempo, cheguei à seguinte conclusão: por quê as pessoas esperam chegar à algum lugar? Quando elas perceberem que o melhor lugar para se estar é dentro delas mesmas, talvez elas percebam o universo que são.
Eu, pouca idade para muita decepção amorosa, só senti a leveza dentro de mim, quando deixei para trás tudo que me impedia de voar. No começo foi difícil deixar aquele ninho, abrir mão doeu muito. As músicas que apresentei e não consegui mais ouvir, os sonhos sem pés nem cabeça compartilhados, os momentos que se passaram, e aqueles que só viveram na minha cabeça. Foi difícil esquecer, mas eu consegui. E com isso, veio a desistência de brinde, aquela quando você desiste de se apaixonar de novo, de se entregar. Eu cheguei a trancar meu coração e deixar se afogar no mar a chave. Mas como tudo na vida, o que tiver que acontecer, acontece. E aconteceu da primavera chegar mais cedo, e me doar um ninho onde eu pudesse descansar. Foi assim que 2016 começou.
Eu poderia estar em qualquer lugar, do outro lado da cidade, em alguma festa onde o que teria de mais cheio ali, certamente seria meu copo. Ou correndo atrás de alguém que nunca faria o mesmo por mim, não sei, poderia estar em alguma cidade no interior de Goiás, ou Marte. Mas algo me fez permanecer onde eu estava, e eu fiquei. Fiquei por ficar, cheguei porque deveria, mas cheguei perto, não em você. O ridículo de lembrar é que não foi algo planejado, não tive tempo de pensar naquele par de roupas para conquistar um cara, eu simplesmente saí de casa, justamente para sair. E como o melhor da vida sempre vem de graça, essas coincidências do universo ou seja como você chama, só aparecem quando é pra ser especial ou aprendizado. Vivo montanha russa. E eu (re) começo mais uma vez.
Eu sei que em um futuro próximo ou distante eu venha me arrepender de dedicar um texto meu totalmente à você, por achar que já passei por paixões e muitas estão por vir, que você não é o primeiro nem o último, por outro lado acabaria deixando de lado o momento em que você é meu presente. E é disso que vivemos. Não vivo nem de passado nem de futuro. Você é meu presente e eu vivo você, com o verbo conjugado no mesmo tempo verbal. Eu gosto de você no agora. Nem ontem, nem amanhã, mas agora. E acima de tudo, amo minha capacidade de voar, e ainda sim me fixar em teu ninho.

 

com amor, Larilda =)

Anúncios

Estive pensando sobre: Amor livre.

Padrão

tumblr_mq70goHBbs1r62o57o1_1280
Estive pensando ultimamente em como hoje em dia as pessoas esqueceram o sentido do amor. Sério, é só ir perguntar pra qualquer pessoa o que significa o amor pra elas mesmas, e elas dirão que preferem ocupar a mente com outra coisa, seja estudando, ou trabalhando.
Vivemos tempos líquidos, isso é fato, e a maioria de nós esqueceu que o amor não é para se dar mas sim para libertar, amor é a sensação de liberdade que você tem para se doar para alguém ou para muitas pessoas. Amor é a possibilidade. Escolha. É sobre você e não os outros.
A gente vive num mundo em que a sociedade escolheu desde sempre monogamia, e que esse sim deveria ser o único tipo de relacionamento ideal, o mundo sempre foi mais acostumado com esse tipo de relação justamente por ser um reflexo da cultura no geral, filmes, músicas e até mesmo da bíblia.
Mas fala aí, e se essa coisa de ”conheci o cara da minha vida” não existir? E se realmente não existe, e se a gente puder amar muitas pessoas durante a vida toda, e se elas forem um pedacinho do nosso coração com o passar dos anos?
Nunca gostei de namorar, por mais que eu gostasse da pessoa, a ideia de ter de ”pertencer” a alguém me assusta e me sufoca até hoje, acho que sou inamorável, e ainda há quem diga ”ah é porque você ainda não conheceu a pessoa certa, bla bla bla” mas hein? putz cara o mundo tem tanta gente, seria egoísmo demais acreditar que existe só uma pessoa que possa me fazer feliz.
Já errei em relacionamentos abertos por não deixar claro o que podia ou não podia, pois respeito e sinceridade ainda é algo muito admirável quando se tem intimidade o suficiente para usá-las. É possível sim amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo. É possível sim se apaixonar amando e estando com outro, é possível desde sempre exista um diálogo e os envolvidos estejam de acordo, não acha? É possível que exista companheirismo e honestidade sim. Não acha que é mais fácil se libertar de todos esses rótulos ao invés de talvez viver um sonho que não seja seu?
Por isso que acho mais simples, amar e ser livre, saber que assim como a vida tudo tem um fim e que para um fim você pode escrever um novo começo, ser fiel no que acredita pois ninguém pertence a ninguém. Amor só dura quando é cultivado como um sentimento libertador, liberta-dor, e não condicional, se liberta de apego e todo o ciúmes que tem aí dentro, pois esses sentimentos não passam de vaidades e ego, pois com o tempo você consegue entender que não é preciso cortar suas vontades pra aprender a querer estar, pois de todos os caquinhos do meu coração, de todos eles que limpei acabei encontrando no amor livre o solo mais limpo, forte e verdadeiro onde pisar.

Bisous, Taía ♥

7 vidas

Padrão

tumblr_niprtwEUIg1s6pd60o1_500
Agora só restam mais sete vidas. É contigo que ela não devia desperdiçá-las mas nessa vida a gente sempre dá um jeito de fazer as escolhas erradas antes das certas. E ela escolheu te dar mais 7 chances.
Primeira chance, ela viu você agarrando outra menina mas fingiu não ligar muito, mas ela liga, e ela sabe o quão boa é em esconder tudo aquilo ali dentro daquele coração pra ninguém ver.
Aí ela tentou esquecer, e te deu a segunda chance, tentou te conhecer melhor de todos os ângulos possíveis e mesmo você achando que consegue guardar as coisas longe dela, ela viu tudinho e aprendeu que você não é mais que uma pessoa, você é uma pessoa previsível, pelo menos pra ela, era sim. E especial também, não vamos esquecer disso.
Na terceira chance, ela destrancou as portas de seu coração depois de muito tempo e resolveu ceder pra você dessa vez, começou a se apaixonar por todos os seus detalhes, e de vez em quando gritava pro mundo que te odiava porque ela queria poder te provar o contrário.
Quarta chance, foi quando você conheceu os demônios dela e ela os seus, sentiu que você fez ela voar, porque ela amou ver um pouco da sua bagunça.
Quinta chance foi quando  ela te apresentou as músicas favoritas dela e sentiu o gosto do seu beijo, que até agora torta do jeito que é, foi a melhor droga que ela já provou.
Sexta chance e você chamou ela pra sair, mas aí perdeu a hora e ela ficou te esperando na paranoia de pensar que quando alguém realmente quer estar junto não importa o tamanho do oceano, o horário ou o país, esse alguém tenta estar, e aí você se desculpou e ela aceitou, e na outra vez se desculpou de novo e ela boba que só foi aceitando e aceitando, e depois ela simplesmente foi acostumando a aceitar tuas desculpas, acostumou com a tua ausência e tua indisposição, daí ela tocou o foda-se em um solo de guitarra, ensaiou todas as desculpas na frente do espelho como você também o fez, mas a boba não desistiu por completo, curiosa que só continuou ali pra ver no que ia dar.
Sétima chance, ela achou que um dia você ia se tocar, mas aí ela sumiu por uns dias e se libertou, tem que ter coragem pra gastar 7 vidas morando sozinha com você, bom, na verdade, sozinha sem você, tentando ter você. Daí ela tentou te esquecer de vez, apagou seu número mas o problema é que já sabia de cor, tentou nunca mais nem ser sua amiga mas aí chegou um ”e aí, lembra de mim?” e ela só queria dizer que preferia não lembrar.
Ainda sente que é interessante a ideia de conhecer a mesma pessoa duas ou mais vezes nessa vida, mesmo que sempre exista um céu que une todos os corações, nem sempre os ventos são a favor.
Então ela resolveu não ir embora por completo, e você também ficou ali, olhando de longe. Mas ainda dói muito nela, dói pra caralho, dói ter tentado sozinha, arde algo dentro do peito dela só de lembrar que você fazia questão que ela soubesse delas e que você preferia elas, e bem provável você continue preferindo todas elas. Mas um dia ela ainda vai cansar e vai fechar a porta na sua cara, você sabe. Essa pequena pensa que apesar de tudo foi bom ter dado errado com você agora, ainda há probabilidade de que depois de alguns anos ainda dê tempo pros nós de vocês darem certo, se amarrarem direito. Mas moço, se você for tentar de novo, vai com calma porque quando ela tira os curativos ainda dói um pouco.

Bisous, Taía.